Diário de Quarentena #2

4º Semana de quarentena: 9 a 15 de março- Aspectos negativos

Esta semana mostrou-se mais negativa. Para além de a minha mãe estar frustrada por não pode desempenhar o seu trabalho, o número de casos confirmados e mortes estão a aumentar.

Noto que existe muitas pessoas que não encaram com a devida seriedade esta situação, como os imigrantes da minha terra que voltaram e que podem estar infectados colocando toda a população em risco. As pessoas mais velhas que insistem em manter a sua rotina mesmo correndo sérios riscos, como a minha vizinha de 75 anos que vai ao mini-mercado 4 vezes ao dia. Ou ainda a pessoa que mantém os seus negócios a funcionar ilegalmente, como esteticistas e cafés.

Esta semana senti-me distante de todos os meus amigos, apesar de falarmos diariamente nas redes sociais onde partilhamos experiências e desabafamos. Para além de estar sobrecarregada com o trabalho escolar, este tem de ser realizado em casa o que dificulta muitas vezes a capacidade de concentração.

Esta Pandemia terá inúmeras consequências, tanto do nosso país como no mundo, em particular agravando casos de ansiedade e depressão, mas também arrastando pessoas anteriormente saudáveis para situações psicologicamente criticas. Sinto que para além das pessoas estarem com medo por si mesmas estão também em pânico pelos seus entes queridos, que podem ficar infetados a qualquer momento.

5º Semana de quarentena 16 a 23 de março- Novas dinâmicas

Esta semana a minha família encontrou uma nova rotina: o meu pai, que trabalha por turnos agora sai mais cedo e ou vê televisão ou faz reparações pela casa; a minha mãe dedicou-se ao ioga e à leitura, por fim a minha tia tem o hobbie /negócio de fazer artesanato que consiste em carteiras, malas e enxovais. As últimas peças que realizou foram toucas para médicos e enfermeiras, que ela doou.

A nova realidade financeira começa a revelar-se preocupante. O meu pai é o único a trabalhar o que nos deixa inseguros em relação ao futuro. A renovação da quarentena deixa-nos na incerteza de como lidar com as consequências financeiras e económicas desta pandemia.

Neste momento estou assoberbada pelo trabalho escolar, desanimada pois não consigo trabalhar em casa e deprimida por não poder interagir com os meus amigos pessoalmente. Em conversas com os meus colegas todos revelam sentir-se assim o que pode ter consequências nas nossas notas.

6º Semana de quarentena: 30 a 5 de abril- Frustrações

Mais uma vez continuo sem encontrar uma boa rotina de estudo, e noto que a rotina e normalidade são essenciais para manter o ânimo e concentração.

O isolamento social e confinamento às nossas casas revela-se desgastante, para mais tentamos manter uma vida saudável, passar tempo com os nossos familiares e estudar traz-me ainda mais ansiedade.

Para além da falta de rotina e isolamento social, existe quem não respeite a quarentena imposta e continuam a por em risco a vida de todos, quer seja pela sua mentalidade ou não reconhecerem a gravidade desta pandemia.

7º semana de quarentena: 6 a 12 de abril

Esta Páscoa foi definitivamente diferente. Para mim foi como se esta época religiosa e comemorativa nem tivesse ocorrido visto que todo o ritual e o dia foram vividos de maneira diferente, no meu ponto de vista não foi vivido de maneira alguma.

Anteriormente a esta Pandemia eu e os meus pais dirigíamos-nos sempre a casa da minha avó paterna, ou a casa da minha tia para um almoço com muitos familiares, este ano invés disso ficamos em casa e não foi celebrado de maneira nenhuma.

Esta semana foi mais aborrecida porque não houve aulas ou qualquer distracção que me impedisse de reflectir sobre a situação que todos nós estamos a passar o que me deixou mais triste e deprimida.

Anteriormente a isto eu gostava bastante de estar sozinha, porém ao viver todos os dias sozinha fico cansada e frustrada. Apesar de estar com a minha família, a própria presença deles deixa-me chateada, sinto que não é justo mas não consigo ignorar esta sensação.

Espero que na próxima semana consiga dar volta a esta situação, tentar manter-me positiva e fazer apenas o que esta ao meu alcance para ser um pouco melhor todos os dias.

O Diário de Quarentena é realizado por Vitória Vieira, nome fictício escolhido por uma aluna de Licenciatura de Antropologia da Universidade de Coimbra.


Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Pesquisar OpenEdition Search

Você sera redirecionado para OpenEdition Search