Sugestão Quinzenal 15/05

Global “Body Shopping” explora como a flexibilidade e a incerteza no mercado de trabalho de IT são construídas e sustentadas por meio de acções humanas concretas. Com base em pesquisas de campo aprofundadas no sul da Índia e na Austrália, e incorporando uma etnografia num exame de economia política, Xiang Biao oferece uma análise rica e detalhada da prática global de gestão de trabalho baseada na Índia, conhecida como “Body Shopping”.

Nesta prática, um grupo de consultores – oficinas – em diferentes países trabalha em conjunto para recrutar trabalhadores de IT. As oficinas, em seguida, distribuem trabalhadores para os clientes como mão de obra baseada em projectos; e após a conclusão do projecto, eles colocam os trabalhadores com um cliente diferente ou os “deixam no banco” para aguardar a próxima colocação. Assim, o trabalho é gerido globalmente para atender a movimentos voláteis de capital. Por trás dessa prática estão relações socioeconómicas desiguais em vários níveis. Enquanto a riqueza na Nova Economia é criada de maneira cada vez mais abstracta, as realidades quotidianas – mercados de acções em Nova York, trabalhadores de IT em Sydney, dotes em Hyderabad e mulheres e crianças em aldeias indianas – sustentam essa flexibilidade.


Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Pesquisar OpenEdition Search

Você sera redirecionado para OpenEdition Search